Pular para o conteúdo
Voltar

Plano aborda melhor estratégia para divulgação do Pantanal

Trabalho é fruto de uma parceria entre o Ministério do Turismo e governo do Estado e assim que estiver concluso, será disponibilizado a todos interessados
Caroline Rodrigues | Sedec-MT

Jeanine Pires é especialista em marketing e coordenadora do projeto - Foto por: Divulgação
Jeanine Pires é especialista em marketing e coordenadora do projeto
A | A

O Plano de Marketing do Pantanal foi apresentado à população em uma audiência pública, realizada nesta terça-feira (18.06) em Várzea Grande, que reuniu cerca de 40 integrantes do setor de Turismo, entre gestores públicos, operadores e empresários dos ramos hoteleiro e gastronômico. O trabalho mostrou dados importantes de diagnóstico, elaborados a partir de uma pesquisa de campo e avaliou como o destino está sendo vendido hoje e qual a melhor forma de inseri-lo com mais eficiência nos mercados nacional e internacional.

Conforme a especialista em marketing e diretora da empresa contratada para a confecção do plano, Jeanine Pires, o evento é a última etapa do processo de elaboração antes da entrega oficial. Agora, será realizada mais uma revisão, bem como a inserção das considerações realizadas pelos participantes.

“O Pantanal de Mato Grosso é uma das regiões com a maior diversidade de recursos naturais que existe no Brasil e na América Latina, e fazer um planejamento de longo prazo para promover essa região foi uma experiência extremamente positiva para nossa empresa. Ficamos muito felizes em saber que agora a região tem um planejamento para que possa, em longo prazo, reposicionar a imagem do Mato Groso no Brasil e no mercado internacional”, afirma.

Para o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, o trabalho dará condições do turismo na região ser ainda mais profissional. Na audiência, ele assegurou que o governador Mauro Mendes está comprometido com o desenvolvimento do setor e, paralelamente a execução do plano, existe uma série de obras de infraestrutura previstas.

“Nos próximos meses iremos inaugurar quatro pontes na transpantaneira e temos outras ações previstas para melhoria do acesso. Além deste trabalho, queremos trabalhar junto com os empresários e gestores municipais. Afinal de contas, o resultado só virá se houver uma parceria forte”, explica Miranda.

O plano

Uma pesquisa realizada pela empresa que elaborou o plano mostra que, antes de chegar aos destinos, os visitantes pesquisam pela internet e também ligam para os operadores para pedirem orientação. Isto aponta para a necessidade constante de qualificação dos operadores, seja com cursos ou tours pela região. “Este comportamento é comum em todos os destinos que saem fora do tradicional. Lembrando que sair fora do tradicional é uma tendência”, contextualiza Jeanine.

A especialista relata que existe uma tendência mundial de se afastar dos destinos concorridos, onde para conseguir comer e chegar a um atrativo é preciso passar por filas e ambientes lotados.

Dentro dessa perspectiva, houve o aumento dos destinos definidos como ecoturismo. Neles, a pessoa consegue ter uma atmosfera sossegada, além do apelo saudável e sustentável, que tem conduzido a atual geração de viajantes.

Na tentativa de atrais mais turistas, o plano prevê ações que incluem a criação de um site para o turismo de Mato Grosso, bem como a realização de tours para operadores, jornalistas e influenciadores digitais. Outra estratégia é focar nos mercados internacionais do Reino Unido, Estados Unidos e Alemanha, onde estão concentrados os turistas estrangeiros que já vieram ao Pantanal e os que estão mais propensos a fazer ou refazer a viagem.

Com relação ao Brasil e Mato Grosso, foi falado em uma ação efetiva para trazer o turista local e do Brasil para o Pantanal e atuar em uma propaganda que desmistifique a ideia de que o Pantanal tem um período certo para visitação. A ideia é mostrar que para cada período, existe uma atividade diferente a ser feita, reduzindo assim a sazonalidade.

Assim que todos os ajustes forem concluídos, o plano será disponibilizado para toda a sociedade. Vale lembrar que o trabalho foi custeado pelo Ministério do Turismo em parceria com o governo do Estado de Mato Grosso.