Pular para o conteúdo
Voltar

Mulheres indígenas são cadastradas como artesãs para fomentar o comércio

Cerca de 200 mulheres indígenas terão a Carteira Nacional de Artesão, que proporciona benefícios para a comercialização dos produtos
Thielli Bairros | Sedec-MT

Coordenadora do Programa de Artesanato, Lourdes Josafá Sampaio, participa do Encontro de Mulheres Indígenas - Foto por: Sedec-MT
Coordenadora do Programa de Artesanato, Lourdes Josafá Sampaio, participa do Encontro de Mulheres Indígenas
A | A

O artesanato indígena brasileiro é reconhecido internacionalmente e a comercialização é a fonte de renda de muitas famílias em Mato Grosso. Para formalizar este trabalho feito pelas mulheres indígenas do Estado, a Coordenação de Artesanato da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec) participa do 13º Encontro da Organização das Mulheres Indígenas de Mato Grosso, na aldeia São Domingos, em Luciara (1.100km de Cuiabá).

Durante a programação do evento, que se estende até sábado (07.09), a equipe da Sedec conversará com as mulheres sobre o Programa de Artesanato e dará orientações.

“Estamos fazendo também o cadastramento destas mulheres no programa para dar a elas o direito de ter a Carteira Nacional de Artesão com uma série de benefícios para a comercialização”, explica a coordenadora Lourdes Josafá Sampaio.

A Organização das Mulheres Indígenas de Mato Grosso – Takiná reúne indígenas das etnias Xavante, Kanela, Terena, Arara, Rikbaktsa, Paresi, Chiquitano, Myky, Bororo, Bakairi, Guató, Kawaiueté de Juara, Kawaiueté do Xingu, Munduruku, Manoki, Apiaká, Yawalapti, Umutina, Tapirapé, Karajá.

Fundada há dez anos, a organização tem como objetivo integrar estas mulheres, buscar mecanismos para melhoria da qualidade de vida, entre outros. O encontro ocorre de 4 a 7 de setembro e tem como tema “Enfrentamento ao suicídio e Valorização da Vida”.