Pular para o conteúdo
Voltar

Sedec apoia produção de óleos essenciais e bio produtos em Mato Grosso

Equipe da pasta está assessorando os empreendedores com dados técnicos
Julianne Caju | Sedec-MT

- Foto por: assessoria
A | A

Uma nova cadeia de produção com alto valor agregado está se tornando realidade no munícipio de Chapada dos Guimarães (67,7 km de Cuiabá) e pode fomentar a agricultura familiar da região. A viabilidade do negócio impulsionada pela rentabilidade e sustentabilidade, especialmente porque pode ser cultivado em pequenas áreas, coloca a produção de óleos essenciais como um ramo de atividade muito promissor.

Atento a essa oportunidade e na possibilidade de expansão da cadeia produtiva em Mato Grosso é que o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) está apoiando a implementação de uma fábrica de óleos essenciais.

“Tem uma equipe da nossa pasta que está apoiando com repasse de dados técnicos e informações agronômicas os empreendedores que estão investindo no plantio das matérias primas e na extração dos óleos essenciais”, explicou o secretário César Miranda.

Outra colaboração da Sedec, de acordo com o secretário, é contribuir para a viabilidade das alianças produtivas, ampliação do mercado consumidor, estruturação dos elos da cadeia e organização do sistema de produção dos compostos naturais, que são extraídos das folhas, flores, raíz e seiva das plantas e podem serem usados pela indústria farmacêutica, de cosméticos, de alimentos, de limpeza e de tratamento de saúde.

“A produção de óleos essenciais pode ser uma grande alternativa para as pequenas propriedades rurais por se tratar de uma produção que permite plantio em pouca área de extensão. É um nicho que está sendo criado. É uma grande oportunidade de negócio para vários agentes de produção”, afirmou César Miranda.

O empreendimento iniciado em Chapada dos Guimarães poderá se expandir para outras pequenas propriedades da região, gerando renda e emprego para as comunidades locais. A equipe da Sedec está acompanhando e assessorando com dados técnicos a produção cultivada em uma área experimental de priprioca, planta do bioma Amazônico, cujos óleos são muito utilizados pela indústria farmacêutica e perfumaria.

“Estamos trabalhando para desenvolver uma política de incentivo para a produção de óleos essenciais a princípio na região de Chapada”, finalizou o secretário.