Pular para o conteúdo
Voltar

Orla do Porto contará com artesão fabricando bijuterias

Eliana Bess | Sedec/MT

Bijuterias são confeccionadas com madeira, cipó e pedras preciosas - Foto por: Associação da Orla do Porto em Cuiabá
Bijuterias são confeccionadas com madeira, cipó e pedras preciosas
A | A

Confeccionar bijuterias e peças com pedras preciosas não é uma tarefa fácil, exige uma sequência de trabalho. É exatamente o que o artesão Brasil Gomide Rocha, conhecido como seu Brasil, vai mostrar nesta sexta-feira (06.10), durante a feira de artesanato que acontece das 18h às 22h na Orla do Porto em Cuiabá. Ele levará parte da sua oficina para a Orla, como se fosse uma extensão da área de trabalho para mostrar o que sabe fazer, como, por exemplo, os anéis de madeira.

Morador de Cuiabá, seu Brasil trabalha há anos com artesanato. Bem que ele arriscou outras atividades, mas a paixão pelas peças falou mais alto. “O tempo foi passando, a idade chegou e eu acabei permanecendo mesmo com o artesanato. Não ganho muito com isso, mas estou satisfeito com o que faço, a mente está sempre ocupada. É mais que um trabalho pra mim, é uma terapia. Estou sempre criando algo”, explicou o artesão.

Entre as peças que produz, estão os anéis com cipós que mais parecem uma obra prima devido aos desenhos característicos do cipó. Também usa semente de jupati (que é da Amazônia) e as folhas do cerrado. No caso das folhas do cerrado, o artesão tira a clorofila para que a forma esquelética da folha prevaleça e assim resulte em brincos, ou seja, peças únicas uma vez que cada matéria tem a sua identidade. O mesmo acontece com as peças criadas que cada uma tem um detalhe diferente.

O gosto pelo artesanato o levou a fazer o curso de lapidação, oferecido pela Companhia Mato-grossense de Mineração (Metamat) há anos. Ele foi da primeira turma do curso e hoje colhe parte dos frutos com o trabalho, lapidando pedras preciosas e montando peças, como descrito, exclusivas.

Parar? Nem pensar. O artesão já prepara novidades no ramo. “Em breve estarei aplicando umas técnicas de tingimento, mas ainda estou preparando”, avisou otimista o artesão que expõe na Orla do Porto juntamente com outros talentos.

Desse modo, aos poucos, a Orla do Porto vai se tornando uma referência para o artesanato mato-grossense, com tantas histórias reais para serem conhecidas.

“É preciso trazer o público para a Orla. É um local extraordinário, aconchegante, que tem como cenário os casarões antigos de Cuiabá e vai render muitos frutos para o Estado, município, Brasil e para nós artesãos, porque envolve a divulgação e a oportunidade de levar o produto”, frisou seu Brasil.

Além de conferir seu Brasil produzindo ao vivo, os visitantes terão a oportunidade de conhecer a riqueza dos produtos regionais oriundos matérias primas distintas. Entre os itens estão patchwork, tapetes, doces, sabonetes, chinelos, decorações em madeira, marchetarias, brinquedos pedagógicos, bonecas de pano, arcos, tiaras, quitutes cuiabanos e muito mais.

Associação

A Feira do Artesanato na Orla do Porto, nas sextas-feiras, é coordenada pela Associação da Orla do Porto, presidida pelo artesão André Toledo. A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), por meio da Coordenadoria do Artesanato Mato-grossense, faz o trabalho de curadoria, de fiscalização da exposição. O objetivo é preservar o espaço para que o próprio artesão venda seu produto.

O projeto na Orla conta com a parceria da Prefeitura de Cuiabá, mediante ação da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo.